Posts tagged ‘RECICLAGEM E+’

24/08/2010

Curso Perspectivas para a Sustentabilidade Socioambiental

Público focalizado: Conselheiros dos Conselhos Regionais do Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Cultura de Paz, técnicos, educadores, e interessados em geral com nível superior.

Duração: 30 horas (20 horas/aula e 10 horas de leituras programadas)

Dia e Horário: 13, 20, 27/09; 04 e 18/10, às segundas-feiras, das 18h às 22h

Local: UMAPAZ – Avenida IV. Centenário, 1268, Portão 7-A, Parque Ibirapuera.

Vagas: 50 – HAVERÁ SELEÇÃO

Inscrições: 24 de agosto a 02 de setembro.

E-mail: inscricoesumapaz@prefeitura.sp.gov.br

Resultado da seleção: 09 de setembro de 2010.

Anúncios
08/06/2010

Design de Embalagens Sustentáveis – curso em São Paulo

O Instituto de Design pra Desenvolvimento Sustentável (IDDS) promove um curso inovador, de formato  imersivo (visita a cooperativa de catadores e supermercados), dinâmica (trabalhos colaborativos e interativos) e prática (hands on – oficina de criação), os princípios de concepção, projeto e especificação de embalagens sustentáveis, que geram benefícios ambientais, valores reconhecidos pelo consumidor e, consequentemente, novos valores para o negócio.

São apresentados cases da indústria e análises de consumo e descarte inteligentes, considerando os processos de todo o ciclo de vida, da concepção ao pós-uso (berço ao berço).

Ao longo do curso também são realizados estudos sobre as principais inovações na gestão de embalagem, tendências de embalagens éticas e sustentáveis, movimentos internacionais de coalizão, normas, selos e sistemas de certificação, assim como ferramentas e sistemas de avaliação de impactos e inovação.

Público-alvo

Profissionais e estudantes de design, engenharia, gestores ambientais e de produtos, comunicação, marketing e demais interessados no tema.

Tutores

Elisa Quartim

Coordenadora do Comitê de Pesquisa e Desenvolvimento em Embalagens Sustentáveis do idds, é uma das mais respeitadas especialistas em design sustentável com ênfase em design de embalagem e design gráfico. Possui sólida formação em agências de propaganda, escritórios de design e indústria, como a MN Design, Diretotal, BBN Brasil e Bristol-Myers Squibbno. São mais de 10 anos de pesquisa sobre as questões que envolvem o design de embalagem mais sustentável, resultando em um vasto conhecimento técnico e estratégico.

Mateus Mendonça

Formado em Farmácia-Bioquímica na Universidade de São Paulo. Atuou na área de Pesquisa e Inovação da Natura Cosméticos, atuando no desenvolvimento do Programa de Sustentabilidade de Embalagens com foco na homologação da cadeia de suprimentos recicláveis. É membro do Comitê de Pesquisa e Desenvolvimento de Embalagens Sustentáveis do idds. Atualmente articula o diálogo intersetorial e a inovação na arquitetura de negócios sociais.

Período:

(3 dias) 17, 18 e 19 de Junho de 2010
Carga horária: 14h

Horário das aulas:
17/06 e 18/06: 19.00h às 23.00h
19/06: 9h às 18h

Investimento

R$450,00 – 7% de desconto para 2 inscrições ou mais.(não cumulativo com outras promoções)

Local a ser realizado

Rua Bela Cintra, 409 – Cerqueira Cesar – SÃO PAULO / SP

Mais informações?

Contacte: info@idds.com.br ou (11)  35861828

Visite o site do IDDS

07/06/2010

Feira de Trocas em Brasília

A Escambau é um dos principais projetos culturais da Cooperativa Trilha Mundos (www.trilhamundos.com.br).  A idéia tem fundamento na prática da economia solidária, buscando promover na sociedade uma reflexão sobre o consumismo e os valores dados a cada produto. O estímulo ao reaproveitamento de artigos, a partir da troca, mostra uma nova forma de adquirir materiais, sem o uso do dinheiro. Com essa premissa, a Feira foi organizada nos moldes da prática do escambo, uma das mais antigas formas de negociação de produtos da civilização.
A compra e venda de produtos não são permitidas no evento.

A feira é uma forma de dar outro destino aos produtos que não são mais necessários para você, mas que podem ter muito valor para outras pessoas.

São trocados artigos novos e usados, possibilitando a re-ciclagem e o reaproveitamento de produtos literários (livros, revistas em quadrinhos), e fonográficos (CD’s, LP’s, DVD’s), além de roupas, artigos de decoração, esportivos, de utilidade doméstica, entre outros. Quem quiser participar do evento basta levar algum item que não precise mais e negociar a troca no local.  Os itens devem estar limpos e em bom estado de conservação.

As pessoas que tiverem mais de 20 itens para trocar podem ter uma mesa gratuitamente, nessa edição as mesas serão liberadas por ordem de chegada.

QUANDO? ONDE?

Dia 12 de junho de 2010, acontece a 12ª edição da feira, das 14h às 18h. A feira acontecerá ni Instituto Oca do Sol no Instituto Oca do Sol, que fica no Núcleo Rural Córrego Urubu (próximo ao Lago Norte).

A Escambau também arrecada doações. Os livros e os artigos de vestuário doados irão para instituições beneficentes.

Para saber mais informações sobre esta fantástica iniciativa: entre em contato com a organização da Feira pelo e-mail feiraescambau@gmail.com.

A Escambau é um dos principais projetos culturais da Cooperativa Trilha Mundos (www.trilhamundos.com.br).
04/06/2010

Oficinas de Arte Sustentável em Santa Catarina

Se você tem interesse tem vida sustentável &  ecovilas; vão ai duas oportunidades na Eco Aldeia Arawikay em Santa Catarina.

TECENDO OS CAMINHOS DA VIDA

Oficina de Tecelagem em Fibras

Datas: 19 e 20 de Junho OU 03 e 04 de Julho

Contribuição: R$195,00 por pessoa (inclui oficina e alimentação).

JOGO DA TRANSFORMAÇÃO
Datas: 25 a 27 de junho OU 16 a 18 de julho

Contribuição: R$300,oo para os dois dias, com tudo incluso.
O espaço cedido para hospedagem é o do Casarão Comunitário (quartos individuais e banheiro coletivo).

Maiores informações www.ecoaldeia.org ou nos telefones (48)-8404-3218/(48)-8423-0503.

07/02/2010

Ama trabalhos em Bambu?

O  Instituto ÇaraKura inicia a semana fazendo um convite especial a todos os apaixonados por Bambu…
O mestre Guilhermo Gayo fará apresentação dos projetos e tecnologias sociais desenvolvidas por “Taquara Renda”, em  especial, sobre o projeto realizado com a comunidade Indígina Guarani, no Paraguay.
O evento acontecerá na quarta feira, dia 10 de feveireiro de 2010, as 18:30 horas , no Sítio ÇaraKura.
Para informações contactar siguraju@Yahoo.com.br.
29/09/2009

Óleo Usado como Combustível

Trabalho de tecnologia social desenvolvida no Sul do país com apoio da Fundação Banco do Brasil

Publicamos aqui, pontos de coleta para a reciclagem de óleo de cozinha, mas que tal captar esse ‘lixo’ das indústrias, restaurantes, etc para fazer o seu próprio combustível?

Achamos este vídeo do Planeta Biodiesel – ao qual não temos nenhum vínculo – explicando possibilidades e como fazer o biocombustível pode ser uma fonte de renda principalmente para organizações não governamenttais.

Vi que eles comercializam mini usinas de 150 a 30.000 litros com tecnologia americana e montadas no Brasil. O showroom é no Bom Retiro em São Paulo na Rua Prates, 1101. Email: sergio@planetabiodiesel.com.br.

Se alguém souber informações sobre esta empresa e de outras fontes para compra de kits, please, adicione aos comentários.

Veja também:

Onde reciclar óleo de cozinha usado?

Biodiesel a partir de penas de galinha

Projeto Óleo Bom

Reciclagem não é a solução

3 vagas gratuitas em formação em permacultura e bioconstrução

09/09/2009

Aquecedor Solar de Recicláveis

Basicamente a idéia já está circulando há um tempo no meio alternativo, mas o que nos empolga é pelo fato de que está sendo utilizado por instituições e em diversas comunidades rurais.

Abaixo, uma reportagem que saiu no Agrosoft de como o Aquecedor Solar reciclado é exemplo de preservação ambiental. E se você quiser, tem o link para baixar o material de como fazer o seu e também links.

Vale a pena lembrar que nem por isso a gente tem que ficar consumindo conservantes/cores artificiais em líquido ou leite sem vida só pra gerar material pra reciclar!!!


Aquecedor Solar reciclado é exemplo de preservação ambiental: O aquecedor solar de garrafas PET, uma alternativa sustentável que preserva o meio ambiente e pode ser utilizada na propriedade rural
Créditos: Emater/RS

O aquecedor solar de garrafas PET, uma alternativa sustentável que preserva o meio ambiente e pode ser utilizada na propriedade rural, está presente no Caminhos da Integração, que reúne a Emater/RS-Ascar, a Fepagro e a UFRGS na quadra 37 da Expointer 2009. Este é um projeto que a Emater/RS-Ascar desenvolve dentro da Frente Programática Responsabilidade Ambiental, em consonância com os Programas Estruturantes do Governo do Estado.

O equipamento trabalha a partir do princípio físico da densidade. Dentro de garrafas PET, que servem como pequenas estufas, a água circula por canos, alojados em caixas de leite longa vida, ambos pintados de preto. “Utilizamos esta cor por melhor absorver o calor”, diz Marcelo Biassusi, da Emater/RS-Ascar de Novo Hamburgo.

Os canos e as caixas longa vida absorvem o calor da radiação solar e o transmitem à água, que é então aquecida. Neste momento, a densidade da água estará mais baixa, ou seja, o fluído, expandido, ocupará um espaço maior do que quando estava fria. “A água estará, aparentemente, mais leve e tenderá a subir, em direção à caixa d’água acoplada”, fala Biasussi. O termo-sifão é ativado desta forma e movimenta toda a água do sistema, até que os fluídos do aquecedor e na caixa d’água atinjam o equilíbrio térmico.

É necessário que a caixa d’água possua um bom isolamento térmico para que a energia armazenada não se perca. No Caminhos da Integração estão expostas três possibilidades de isolamento. “Apresentamos a espuma de poliuretano aliada a jornal, somente a jornal e casca de arroz, que tem apresentado melhor desempenho. Outros materiais podem ser reaproveitados no projeto, depende do que o produtor rural tiver disponível”, diz Mário Jesus Padilha, engenheiro agrônomo da Emater/RS-Ascar de Portão.

Dentro da caixa há um mecanismo composto por vávula, bóias e canos, que não permite a mistura da água da rede de abastecimento com a que já está aquecida. “A água fria do abastecimento entra no fundo da caixa e ali permanece quando é necessário encher a caixa novamente”, lembra Biassusi.

Alguns agricultores atendidos pela Emater/RS-Ascar já utilizam o aquecedor solar, que reduz em até 30% os gastos com energia elétrica. “O equipamento é utilizado desde o banho, até em algumas técnicas rurais que em que a água quente é necessária”, afirma Biassusi. Além de aproveitar a energia solar, o aquecedor utiliza, em sua construção, materiais poluentes que levam anos para se degradar, como caixas de leite e garrafas PET.

O produtor rural que estiver interesse em implantar um aquecedor solar em sua propriedade pode procurar o Escritório da Emater/RS-Ascar em seu município. A montagem é simples e de baixo custo. “Orientamos nossos assistidos e auxiliamos na construção deste equipamento, que busca a sustentabilidade aliada à ecologia”, diz Padilha.

FONTE

Emater/RS-Ascar
Carine Massierer – Jornalista
Fernanda Gasparin – Estagiária

MAIS INFORMAÇÕES

Baixe o documento que ensina a construir o Aquecedor Solar de Recicláveis (arquivo PDF – 9 Mb). Copie e Cole este link: http://www.meioambiente.pr.gov.br/arquivos/File
/meioambiente/solar.pdf

02/09/2009

Vasos cheio de graça

micro1

Quem disse que pra ser sustentável precisa ser ecochato? Vasos cheios de graça ….mas bate um consumismo …..esses são do Japão….

micro3

Uma boa idéia do que fazer com as latas, alguém aí já fez uma reciclagem interessante? Quer mandar a foto?? Coloque no comentário a sua idéia!

micro4

Cores, alegria, positividade, isso tudo faz parte da Sustentabilidade!

20/08/2009

Projeto Óleo Bom

Foi publicado aqui ONDE RECICLAR O ÓLEO DE COZINHA USADO, com dicas gerais de pontos de coleta – e em breve, vamos postar um artigo sobre como produzir o seu próprio biocombustível – Por enquanto, um história de final feliz pra inspirar ações que fazem a diferença. E onde você pode reciclar o óleo na região de Búzios/RJ.

Oleo Bom

Elias e Carlos fundadores do Projeto

O projeto Óleo Bom surgiu na Ferlagos, numa academia como tantas outras e onde muitos sonhos nascem. O professor Rodrigo solicitou que os alunos trouxessem de suas residências quantidades de óleo vegetal. Com este material, professor e alunos foram para o laboratório desenvolver sabão. A partir daí, perceberam que era possível adequar o projeto de reutilização de óleo de cozinha às características do Município.

Após pesquisa, o grupo constatou que alguns estabelecimentos comerciais e residências não tinham um destino ecologicamente seguro para esses resíduos: tal constatação serviu de base para que implantassem o projeto na Cidade, o que foi feito com sucesso, há mais de dois anos.

Como executam esse trabalho?

O nosso trabalho consiste na coleta de óleo vegetal usado, pilhas e baterias em geral, recolhemos estes materiais em estabelecimento comerciais e residências, evitando que estes resíduos contaminem o meio ambiente. O Projeto Óleo Bom vem desenvolvendo um trabalho diferenciado visando à conscientização ecológica e a integração com a comunidade para juntos mantermos a qualidade de vida da nossa Cidade. Muito nos preocupa a poluição do ecossistema. Aproveitamos para dar nossa parcela de contribuição, buscando caminhos que possam fazer também uma integração com a população buziana neste sentido.

Como vocês mantêm esse projeto?

Em princípio, foi mantido com doações de pessoas engajadas no projeto, hoje através dos resíduos que são retirados de nossos colaboradores conseguimos reverter estes recursos na conscientização da população através de camisas, panfletos, faixas e outros. Doamos-nos muito, pois o sonho normalmente requer empenho maior de quem idealiza.

Vocês pensam em alguma forma para ampliar o projeto?

Estamos buscando apoio junto à secretaria de Meio Ambiente, que tem nos ajudado dentro do possível. Sabemos que a cidade passa por dificuldades financeiras, sendo assim não podemos contar com ajuda neste sentido, mas acreditamos que qualquer projeto tem que caminhar em parceria com a máquina administrativa. Nosso próximo passo é buscar ajuda dos empresários e comércio para alcançar nosso objetivo que é cadastrar todas as residências até 2010.

Todas as residências até 2010? Não é um plano audacioso?

Sem dúvida. Chegamos até aqui com audácia, organização e determinação, e assim conseguiremos atingir nosso objetivo. Não estamos sozinhos, precisamos da ajuda de nossos colaboradores, parceiros. Acredito que o nosso ideal nos determina a seguir.

Qual a mensagem que mandariam para nossos leitores?

Cuidar do planeta é responsabilidade de todos! Essa é a mensagem do projeto Óleo Bom, na verdade, é mais que uma mensagem, é um chamado, um pedido de socorro. Não queremos que nossa Cidade se transforme numa Baía de Guanabara ou tantos outros lugares que um dia já foram chamados de paraíso e hoje o que se vê é destruição e degradação do meio ambiente! Colabore, levante essa bandeira junto com a gente!

Como as pessoas fazem para doar o óleo de cozinha ou outra doação?

Há vários pontos de coleta. Na rua Celeste da Costa, nº4, na Casa Farol de Búzios, na secretaria de Meio Ambiente, no colégio João de Oliveira Botas, no colégio Nicomedes, e estamos buscando junto à secretaria de Educação implantar em cada colégio um posto de coleta para atender aos moradores próximos. Também buscamos nas residências a partir de 2 litros em qualquer lugar do município pelos telefones: (22) 2623-2947/9227-1925/9815-1055. Gostaria de agradecer a todos que contribuem. Quero aproveitar também para parabenizar o JPH pela oportunidade e também pela criação deste espaço onde podemos mostrar o que fazemos em prol de Búzios, como um incentivo.

Fonte: Radio Buzios

05/08/2009

Dicas Práticas para ter um Evento mais Sustentável

Hoje em dia todo mundo está falando em sustentabilidade, mas um fato fácil de observar é um evento sobre sustentabilidade  numa sala fechada – usando ar condicionado e  luz artificial!

Veja algumas idéias de como tornar os eventos mais sustentáveis – dicas traduzidas* da II Conferência de Eventos Sustentaveis, que aconteceu em Maio/09 em Londres.

Temos certeza que você também tem uma dica! Adicione aos comentários!

  • Dê direções de como chegar ao seu evento de tranporte público, de bike ou à pé
  • Use alimentos vegetarianos
  • Evite o uso de plásticos para a identificação dos nomes
  • Uilize produtos como chás e café da linha orgânica e/ou Comércio Justo
  • Consumo de água: use água filtrada e copos de vidro, ao invés de garrafas PET e mais copos plásticos – isso vai reduzir não somente no lixo, bem como: na economia de recursos naturais, no tranpsorte da água, na emissão de carbono, etc.
  • Utilize flores da estação e da Flora Brasileira
  • Nem sempre precisamos de papel para a comunicação
  • Utilize um sistema on line para cadastros- isso vai economizar papel e tempo!
  • Utilize Bambu – que cresce fácil, promove um visual diferente e pode substituir madeira em diversas situações
  • Considere um cardápio vegan ou ao menos vegetariano – dependendo do tamanho do evento pode salvar toneladas de carbono!
  • Escolha um local perto de transporte público
  • Utilize provedores de preferência local e nacional
  • Faça um esquema que incentive caronas
  • Se você tiver que gerar energia para o evento, pense em solar e biodiesel
  • Comunique a todos os co-laboradores do evento a importância do uso consciente de água
  • Confirme que o local do evento não tenha vazamentos de água
  • Ofereça maneiras de reciclagem do lixo
  • Confirme com a administração local que o lixo seja reciclado – caso não, teha certeza que pelo menos o lixo do seu evento será devidamente encaminhado
  • Pense na comunidade local – como o evento pode causar um efeito positivo nos arredores?
  • Incorpore algum projeto social na programação do evento
  • Promova oportunidade para estagiários, voluntários e pessoas desempregadas – gerando assim oportunidade de aprendizado e experiência
  • Se for oferecer brindes para merchandise,  pense em algo realmente útil e que não vá apenas gerar lixo e use a oportunidade para mostrar a consciência ecológica do evento
  • Não coloque datas nos materiais dos eventos, assim eles podem ser reutilizados
  • Se for oferecer papel, canetas e similares – faça questão de materiais reciclados
  • Considere de quem você compra – eles possuem condutas ecológicas?
  • Considere os participantes – lembre-se que pessoas podem ter condições especiais – vale a pena colocar no formulário de inscrição
  • Pense na possibilidade de ter o evento durante o dia, evitando a necessidade de uso de eletricidade
  • Caso tenha que utilizar lâmpadas para a iluminação, certifique que sejam as de uso de energia econômica
  • Onde será depositado o dinheiro deste evento? É um banco com parâmetros de Sustentabilidade?
  • No website do evento, acrecente informações sobre a sustentabilidade do evento
  • Divulgue as práticas e regulamentos de sustentabilidade da sua empresa no evento
  • Se algo tem que ser impresso, use os dois lados
  • Utilize um sistema online grátis como o Eventberry.com
  • Utilize recursos como os oferecidos pela Julie’s Bicycle.com
  • Ofereça aos participantes a participação na Emissão de Carbonos que eles utilizaram para chegar ao evento

E queremos adicionar:

– em Festivais, pode ser oferecido banheiro seco ao invés de banheiro químico!

– em Cursos e Eventos – é super interessante que faça viável a participação de todos os interessados. Uma coisa que ocorre na Austrália, por exemplo, é o sliding scale >> o valor varia de acordo com a condição social da pessoa e também há possibilidades da pessoa trocar parcialmente o valor da participação em troca de trabalho.

Adicione aos comentários as suas dicas de como tornar um evento mais sustentável!

*Algumas dicas foram adaptadas, como por exemplo: use flores britânicas, por use flores brasileiras!

%d blogueiros gostam disto: