Posts tagged ‘AGRICULTURA & JARDINAGEM’

12/07/2010

Curso de Fundamentação para Projetos em Agricultura Sustentável

Diálogos entre Agroecologia e Antropologia no IPE/ SP

20 a 22 de agosto de 2010

Este curso tem por objetivo oferecer alguns fundamentos da agroecologia e da antropologia como suporte para a execução de projetos em agricultura sustentável. A agroecologia, como proposta de aproximação entre as práticas agrícolas e os princípios ecológicos, busca as possíveis articulações entre saberes e técnicas científicas e saberes e técnicas das comunidades rurais. Nesse sentido, a viabilidade dos projetos em agroecologia está condicionada à compreensão da realidade sócio-cultural dessas comunidades por parte dos cientistas e técnicos. A antropologia pode contribuir para esta compreensão ao oferecer instrumentos e métodos que explicam as diferentes culturas de uma perspectiva sistêmica e dinâmica. Assim, um diálogo entre agroecologia e antropologia pode fortalecer as propostas de agricultura sustentável em seu sentido mais amplo, ao envolver e relacionar diretrizes agronômicas, ecológicas, sócio-econômicas e culturais.

PÚBLICO ALVO

Pesquisadores, engenheiros e técnicos envolvidos profissionalmente com a agricultura sustentável; estudantes das áreas de ciências sociais, agronômicas e florestais; profissionais atuantes em organizações não governamentais e demais interessados no tema.

CONTEÚDO

1. Introdução.
• A problemática entre modernização, agricultura e diversidade cultural.

2. Caminhos para a sustentabilidade: a agroecologia.
• Estilos de agricultura sustentável e as peculiaridades da agroecologia;
• Diferentes concepções de agroecologia: o pensamento de Stephen Gliessman, Miguel Altieri e Eduardo Sevilla Guzmàn;
• A busca por uma agroecologia plena: entre os princípios ecológicos e a diversidade sócio-cultural.

3. Caminhos para a diversidade: a antropologia.
• A antropologia como compreensão da condição humana;
• As principais tendências teóricas: evolucionismo, funcionalismo, estruturalismo e o debate contemporâneo sobre naturezas e culturas;
• A contribuição da antropologia para a compreensão das comunidades rurais brasileiras.

4. Diversidade e sustentabilidade para a construção de uma agroecologia plena: os caminhos possíveis.
• O desafio para a especialização científica: compreender a complexidade das comunidades rurais;
• O encontro entre os diferentes: cientistas e comunidades rurais;
• Articulação entre conhecimentos: o agroecólogo como aprendiz;
• O sítio como unidade de análise: espaços masculinos e espaços femininos;
• A elaboração de tecnologias adequadas às diferentes realidades culturais;
• Da inclusão à reconstrução de relações com o mercado: o fortalecimento endógeno.

INSTRUTORES

Laura De Biase

Engenheira Florestal formada pela USP-ESALQ e Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação Interunidades em Ecologia Aplicada (PPGI-EA) da ESALQ/CENA (conclusão em abril de 2010). Tem experiência de extensão acadêmica em assentamentos rurais nas regiões de Itapeva, Andradina e Pontal do Paranapanema. Atuou na construção participativa de viveiros florestais na região do Vale do Ribeira e de Piracicaba em projetos realizados pela ESALQ. Realizou assessoria para elaboração do Plano de Manejo Florestal Sustentável nas Terras Indígenas de Oiapoque/AP, através do IMAZON e TNC do Brasil. Realizou assessoria e pesquisa acadêmica em projeto de desenvolvimento agroflorestal junto a comunidades rurais da região do Vale do Ribeira (Cajati, Cananéia, Sete Barras e Barra do Turvo), através da PROTER. Além disso, realizou consultoria no Projeto de Criação de Wetlands (Rio Doce Manganês – Vale) para a Bureau de Projetos e Consultoria Ltda. Atualmente desenvolve pesquisa sobre agroecologia, campesinidade e relações de gênero.

Roberto Donato da Silva Júnior

Cientista Social e Mestre em Sociologia (UNESP-FCLAr), Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Ambiente e Sociedade do NEPAM/IFCH/UNICAMP. Tem experiência em projetos sócio-ambientais junto às populações indígenas na Região de Ji-Paraná/RO, através do IAMÁ. Possui dez anos de experiência como professor do ensino fundamental, médio e curso pré-vestibular na disciplina de história e quatro anos de experiência como professor universitário nas disciplinas de sociologia, antropologia e filosofia. Organizou e proferiu o curso de Introdução às Humanidades, ministrado através do grupo Engenho da Mente em escolas e instituições de ensino superior nos municípios de Piracicaba, Americana e Ribeirão Preto, incluindo a elaboração de material didático. Já desenvolveu pesquisa sobre etnoconservação e a relação entre ONG’s e populações ribeirinhas na Amazônia. Atualmente realiza Estágio de Docência na FCA/UNICAMP e desenvolve pesquisa sobre as possibilidades de intersecção entre ecologia, sociologia e antropologia nas propostas de sustentabilidade.

INVESTIMENTO

À vista: R$ 605,00
Parcelado: R$ 640,00 (primeira parcela R$ 235,00 + 3x R$ 135,00)

**O valor do curso inclui 3 dias de hospedagem, refeições diárias, traslado em horário pré-determinado no percurso Aeroporto de Guarulhos – IPÊ – Guarulhos e Rodoviária de Atibaia – IPÊ – Rodoviária de Atibaia, material didático e certificado de participação. O IPÊ não cobre despesas de viagem.

FAÇA A SUA INSCRIÇÃO

Informações: 55 (11) 4597-1327 / 9981-2601

23/06/2010

FORMAÇÃO DE ECOVILAS

20/06/2010

Conexão Gaia Introdução a Permacultura e Plantas de Poder. Retiro do 17 de Julho ao 25.

Este curso é uma introdução à Permacultura e seus princípios.

Permacultura é uma abordagem para a concepção de assentamentos humanos e para os sistemas agrícolas que mimetizam as relações encontradas em ambientes naturais. (Termos cunhados pelos australianos Bill Mollison e David Holmgren, significando Agricultura Permanente, ou ainda Cultura Permanente).

A idéia aqui é se reconectar com o mundo natural, e re-aprender a ouvir os sinais da natureza. Ao fazê-lo estabelecer uma simbiose com o nosso planeta. Não podemos só tirar, tirar, tirar. Como comissários dessa nave azul, precisamos aprender a tomar o cuidado adequado perante a mesma. Neste curso, você terá uma introdução aos conceitos básicos de Permacultura tais como coleta da água da chuva, sistemas agroflorestais (SAF), aquecimento solar de água e métodos de bio-construção, como Super Adobe, Cob e ferro-cimento.

Os cursos serão ministrados por João Amorim, Sandesh Antunes, Namaste Messerschmid, Lia Bigaton, Mariana Ayabe e Marcos Pitombo.

Há cerimônias opcionais com plantas de poder, oferecidas antes e depois do curso.

Acreditamos que cuidar do mundo interior é tão importante quanto cuidar do mundo exterior. A cerimônia será conduzida por Hernando Villa das tradições da floresta Amazônica da Colômbia e sua parceira Kathi von Koerber da África do Sul.

As plantas de poder nos “afinam” para encontrarmos um melhor relacionamento com nossa mãe terra e inspirar as técnicas (permacultura) a serem integradas no dia a dia.

Haverá aulas de Yoga todos os dias pela manha.

1000 reais com cerimonias, 800 reais sem cerimonias para pagamentos a vista ate dia 30 de Junho

Transporte saindo de Brasilia dia 16 a tarde e dia 17 pela manha…

O filme 2012 Tempo de Mudança sera exibido durante o curso em exclusividade.  www.2012timeforchange.com

Mais informações em anexo… ou no email-website abaixo:

joao@ciclo.org
http://www.ciclo.org

17/03/2010

Capacitação em Tecnologias Sustentáveis

O Eco-projeto Centro Experimental de Tecnologias Sustentáveis e Vivências Comunitárias, em parceria com o IPEMA, Instituto de Permacultura da Mata Atlântica, oferece oficinas gratuitas de planejamento de ambientes sustentáveis:

•27 e 28 de Março/2010: Oficina de Captação de Água de Chuva – Princípios da Permacultura e como captar a água da chuva de seu telhado. Capacitação com 16 horas de duração e construção de uma cisterna para armazenamento da água utilizando a eco-técnica de ferro-cimento;

07 e 08 de Abril/2010: Oficina de Banheiro Ecológico e Sistema de Re-uso de Água – Princípios da Permacultura e exemplos teóricos e práticos de banheiros ecológicos e destino dos resíduos produzidos. Capacitação com 8 horas de duração;

17 e 18 de Abril/2010: Oficina de Pisos Ecológicos – Princípios da Permacultura e técnicas de pisos ecológicos aproveitando os recursos naturais disponíveis no próprio espaço e experimentação da eco-técnica de solo-cimento. Capacitação com 16 horas de duração;

•Capacitação para os Técnicos das Prefeituras do Litoral Norte – Princípios da Permacultura e planejamento de ambientes mais sustentáveis, utilizando técnicas de baixo custo e baixo impacto ambiental. Datas a definir que serão divulgadas no blog: http://www.cursosgratuitosnoipema.blogspot.com/.
Além destes cursos gratuitos o IPEMA também vai oferecer um curso pago  em Manejo da Palmeira  Juçara em Abril – VEJA MAIS AQUI.
Para maiores informações entre em contato pelo email permacultura.ipema@gmail.com, ou pelo telefone 12 3848-2682/horário comercial.

10/03/2010

Curso de manejo de Juçara, 10 e 11 de Abril no IPEMA – Ubatuba

Curso de Manejo da Palmeira Juçara (Euterpe edulis Mart.)

Manejo, colheita e beneficiamento dos frutos para produção de polpa e sementes

10-11 de Abril

IPEMA, Ubatuba, SP

O uso sustentável da palmeira juçara atualmente vem se destacando como uma importante e promissora estratégia para conservação do Bioma Mata Atlântica e geração de renda. O conteúdo a ser desenvolvido tem caráter teórico prático, baseado na experiência acumulada pelo IPEMA a 5 anos em que vem desenvolvendo um programa de ações com manejo da Juçara junto a comunidades e agricultores tradicionais em Ubatuba e região. As ações desenvolvidas focam desde o manejo sustentável da espécie, licenciamento e a estruturação da cadeia produtiva como um todo.

Atualmente o IPEMA coordena e integra o projeto “Uso Sustentável da Palmeira Juçara como estratégia de conservação da Mata Atlântica” elaborado pela Rede Juçara com âmbito de execução nos estados de RS, SC, SP e RJ com foco no desenvolvimento da cadeia produtiva da palmeira juçara, desenvolvendo ações relacionadas a legislação e políticas públicas, monitoramento dos sistemas de manejo, e identidade e qualidade do produto polpa na Mata Atlântica.

Focalizadores:

Equipe IPEMA “Programa Manejo Sustentável da Palmeira Juçara”: Alexandre Severo dos Santos (Juçareiro),Luiz Carlos de Oliveira (JUçareiro), Eduardo Darvin (Biólogo), Fernanda Horiye (Eng. Florestal), Luciano Maciel Corbellini (Biólogo) e Vitor de Matos (Eng. Florestal)

Objetivo:

Capacitar agricultores e técnicos no manejo sustentável da palmeira juçara com foco na produção de frutos e beneficiamento para a produção de polpa e sementes.

Programação:

– Prática de colheita e beneficiamentos dos frutos.

– Introdução ao cultivo da palmeira em SAF’s e capoeiras.

– Produção de frutos.

– Produção de sementes e mudas e o Sistema Nacional de Sementes e Mudas (Lei 10.711)

– Manejo de estoques em populações naturais, capacidade de carga e estoque de alimento para fauna.

– Tópicos para elaboração de projetos piloto, planos de manejo e licenciamento.

– Padronização de polpa e qualidade do produto;

– Estrutura, equipamentos e procedimentos para o beneficiamento dos frutos.

– Legislação Ambiental relacionada ao manejo da palmeira.

– Legislação Sanitária e o beneficiamento dos frutos.

Público de interesse:

Técnicos da área ambiental, agrônomos, biólogos, ecólogos, eng. florestais, estudantes e produtores rurais.

Numero de vagas: 30

Carga horária: 22 horas/ aula.

Chegada: sábado (10/04)

Inicio: sábado (10/04) às 8:00hs

Termino: domingo (11/04) às 18:00hs

Estudante: R$ 210,00 a vista / 2 X de R$ 115,00

Profissional: R$ 255,00 a vista / 2 X de R$ 140,00

Mais informações www.ipemabrasil.org.br

08/02/2010

Curso de Agrofloresta (13 e 14 de março-2010)

IM PER DIVEL!
Curso de Agrofloresta com Namastê e Fernando Rebello,em Brasília,no Sítio Pinheiros que fica em Brazilândia.
Curso de Agrofloresta (13 e 14 de março-2010)
  • Conteúdo e dinâmica do curso: o curso é prático, quase que 100% com atividades em campo. No curso você aprenderá a produzir frutos e floresta ao mesmo tempo.
  • O que inclui? O curso tem duração de 2 dias e inclui hospedagem em chalé, alimentação, praticas e certificado.
  • Público: qualquer pessoa interessada em aprender
  • O que levar? Roupas velhas para atuar em campo, facão, bota ou tênis. No local há uma deliciosa piscina de água corrente. Quem quiser se refrescar, leve roupa de banho.
  • Quem vai ministrar? Namastê Ganesh e Fernando Rebello
  • Investimento? 2 X R$ 97,50 pagas até o primeiro dia do curso ou R$ 195,00 à vista.

Para fazer sua inscrição e saber mais acesse:http://www.sitiopinheiros.com.br/cursos.html

27/11/2009

Árvores frutíferas ganham as ruas em Londrina/PR

Quem já visitou o nosso site, sabe que amamos o conceito da Permacultura –  e essa notícia do G1,tinha que ganhar um destaque aqui na Páginas Verdes.ORG.

Árvores carregadas de frutas são atrações das ruas de Londrina (PR). Em um passeio pela cidade, dá para fazer uma feira.

Os moradores encontram manga, goiaba, ameixa…E, na sombra de uma jaqueira, uma vizinha reclama que não dá tempo da fruta ficar madura, porque a molecada está sempre de olho na produção.

As frutas viraram alternativas saudáveis para substituir o verde derrubado pelos vendavais. Quando as árvores antigas caem, são plantadas mangueiras e outras mudas que acabam dando frutas.

Mas a prefeitura diz que as árvores frutíferas só devem ficar em praças e fundos de vales. Para canteiros e calçadas, vale a recomendação dos técnicos, que preferem evitar acidentes quando as frutas caem do pé ou as crianças param para procurá-las, por exemplo. “Fruta é bem-vinda, mas desde que em local adequado”, diz Carlos Levy, secretário de Meio Ambiente.

Em outro bairro, uma esquina ganhou pés de cana-de-açúcar. O morador, Narciso Correia, disse que as crianças e as mulheres grávidas sempre pedem um pouquinho. Ele contou que plantou cana para matar a saudade da infância.

Posts publicados aqui com o tópico Permacultura – CLIQUE AQUI

17/09/2009

Verde que te quero ver-te!

Ontem estávamos come-morandoo nosso prêmio TOP BLOG e ao deliciar umas verduras da nossa horta, um dos convidados comentou: mas eu não tenho espaço, orgânico é tão caro e além do mais eu não tenho tempo!!!

Hmmm…não sei como explicar – já que jardinagem é uma coisa que entrou na minha vida somente há três anos atrás e o que ocorre é que o fato de ter um verdinho plantado por eu mesma, vai além de preço, de ser orgânico e o tempo não é perdido é investido em prazer, cultivar não só a planta – mas a mim mesma.

Parece difícil descrever o prazer de comer algo que você mesmo plantou, é pela energia, liberdade, pela conexão com a Natureza, conexão com o que você coloca pra dentro que em minutos será você!

E um amigo terapeuta coloca a jardinagem numa perspectiva além: está totalmente relacionado ao fato de se amar, se cuidar……

Faça a experiência e me diga como foi.

Já fez? Adicione nos comentários as suas experiências e insights sobre plantar a sua própria comida.

Ah! Alguns pequenos exemplos de  que nem de muito espaço você precisa…..

pitangauvasjardimnovasovarandavaranda2

08/09/2009

3 vagas gratuitas em formação em permacultura e bioconstrução

PERMACULTURA = Ação + Coletivo + Solidária !

O COLETIVO PERMACULTORES propondo uma ação mais coletiva e solidária entre os movimentos sociais atuantes, estará disponibilizando 3 vagas gratuitas de seus cursos para membros de movimentos sociais interessados em formação em permacultura e bioconstrução. Estas 3 vagas são isentas do custo total dos Cursos na Agenda 2009, tendo que investir somente com despesas de alimentação. Informações: permacoletivo@hotmail.com  ou acesse o blog www.permacoletivo.wordpress.com

22/08/2009

Econegócio: viveiro de mudas e sementes

Semeando o futuro

De semente em semente, o engenheiro Marcelo de Carvalho Silva construiu um negócio de R$ 10 milhões

Bia Costa

O ano foi o mesmo da Eco-92, a Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e Desenvolvimento. Acabara de ficar claro para o engenheiro florestal Marcelo de Carvalho Silva, 55 anos, que o país passaria a fazer parte de um importante movimento para recuperação de áreas florestais degradadas; as empresas, por sua vez, também investiriam cada vez mais em projetos de compensação ambiental. Nascia ali o negócio da Fazenda Plathymenia, viveiro de mudas e sementes de 750 hectares localizado em Silva Jardim, no interior do Rio, que se transformaria na Biovert. “Eu sabia que em algum momento o mercado ia se preocupar mais com a conservação ambiental e apostei nisso”, diz Silva, que conquistou para sua carteira de clientes empresas como a Petrobras e a Odebrecht e prevê um faturamento de R$ 10 milhões para este ano, quase o dobro dos R$ 5,3 milhões obtidos em 2008. Outro indicador de sucesso: nos últimos cinco anos, a expansão média da empresa tem sido superior a 60%. “Ainda existe uma demanda reprimida muito grande e os concorrentes são poucos”, completa Silva.

Na Biovert, o processo de produção envolve 140 funcionários, mas é muito simples: as sementes são recolhidas e transformadas em mudas. Parte delas é acondicionada em uma câmara fria para ser beneficiada e posteriormente plantada, de acordo com a demanda. Cada projeto tem prazo médio de um ano, com um semestre dedicado ao plantio e outros seis meses de manutenção. Atualmente, Silva produz 35 mil mudas por ano, mas sua ambição é aumentar esse número em 200%, expandindo sua atuação para outras áreas do país. Seu próximo passo é obter financiamento do Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e conquistar clientes em outros estados. Hoje, sua atuação está restrita ao Rio. “Temos trabalho para muitas gerações”, afirma Silva, que, pensando no futuro, engajou no negócio seu filho Bernardo, 21 anos, também engenheiro ambiental, que acaba de se tornar seu sócio.

Marcelo Correa

Marcelo de Carvalho Silva
BIOVERT
Silva Jardim, RJ
Fonte: Pequenas Empresas Grandes Negócios
%d blogueiros gostam disto: