Archive for novembro, 2009

30/11/2009

Palestra: A Agenda da Sustentabilidade e as Grandes Transformações do Século XXI no RJ


Dr. Sergio Besserman Vianna, Economista e ecologista, conselheiro da
WWF-BR, Presidente da Câmara Técnica de Desenvolvimento Sustentável e
Governança Metropolitana – Rio de Janeiro

A palestra irá abordar o conhecimento científico mais recente sobre as
Mudanças Climáticas e os impactos previstos, como: o significado de
elevação média de temperatura e do nível do mar, relacionando o tempo
desses processos com o tempo geológico, impacto sobre a civilização
humana e a conseqüência de suas ações. Irá também discutir os atuais
padrões de consumo e modelos de produção, que restringem o acesso dos
restantes 5 bilhões de habitantes da Terra a esse padrão.  A abordagem
se dará no contexto da história econômica recente tanto do ponto de
vista de suas causas como sob a nova perspectiva decorrente da crise
econômica global e as mudanças esperadas para o futuro. Nesse ambiente
a aplicação do conhecimento e gestão de riscos são mais importantes do
que em qualquer outro período da história econômica.

Local: Parque Lage – Salão Nobre (Rio de Janeiro)

Horário: 19 horas

Saiba mais: www.inverde.org
RIO + VERDE: http://inverde.wordpress.com/rio-verde/

29/11/2009

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MERCADO DE CARBONO – SP

São Paulo dias 15, 16, 29 e 30 de Janeiro de 2010 (aos sábados)

O Curso de Especialização em Mercado de Carbono é eminentemente técnico com uma visão estratégica e orientação prática, voltado para a capacitação de profissionais na tomada de decisão em questões ambientais e na condução de trabalhos envolvendo o segmento de carbono.
Sua concepção é única na temática, no tratamento dos temas e na capacitação em atender as expectativas do setor quanto a formação de gestores e consultores.
O curso é composto de aulas teóricas, trabalhos práticos e visitas técnicas, sendo ministrado em ao Paulo no campus da FIT – Faculdade Impacta de Tecnologia. Rua Luis Coelho 223, 8º andar – próximo a Av. Paulista.
Com 32 horas-aula distribuídas ao longo de quatro sábados, o curso aborda a realidade de um dos mercados mais dinâmicos da atualidade e em fase de expansão continuada, tanto no Brasil quanto no mundo.

Objetivos

– Atender à demanda existente para essa capacitação, tanto no nível de gestores já atuantes no mercado, quanto na formação de gestores com conhecimento adequado do assunto;
– Oferecer a oportunidade para a continuação de estudos em aperfeiçoamento e capacitação profissional;
– Criar uma nova área de especialização e aperfeiçoamento na formação de profissionais;
– Permitir uma linguagem de interdisciplinaridade entre áreas afins do mercado de trabalho.

Público Alvo

– Executivos de Empresas e Profissionais que necessitem de especialização na área ambiental e em especial em Mercado de Carbono;
– Funcionários de Organizações Governamentais e Não Governamentais que atuem no setor ambiental;
– Profissionais de nível superior que procurem recolocação no mercado de trabalho, no setor ambiental.

Conteúdo Programático

A programação será composta de 32 horas-aula de teoria e prática, a saber:

1º dia: Entendendo o Porque do Mercado de Carbono

– O Protocolo de Quioto;
– O Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL);
– Oportunidades de Mitigação;
– MDL e Aterros Sanitários
– O MDL e a Indústria de Cimento;
– A Teoria e a Prática;
– Custos de um Projeto.

2º dia: Inventário de Emissões e Sumidouros de GEE (Gases de Efeito Estufa), Identificação de Oportunidades de Redução e Início da Estruturação de um Projeto de Redução de GEE.

– Caracterização de um inventário e sua importância;
– Resultados de um inventário e identificação de oportunidades de redução;
– Estrutura geral de um DCP (Documento de Concepção de Projeto);
– Caracterização de adicionalidade;
– Ferramenta de adicionalidade (por barreiras ou econômica);
– Como estudar e apresentar a adicionalidade de um projeto;
– Capítulo do DCP que aborda adicionalidade com exemplos;
– Exercícios com estudos de caso;

3º dia: Entendendo a Linha de base de um projeto

– Exemplos de metodologias de linha de base, aplicabilidades e listagem das existentes;
– Como e quando propor uma nova metodologia;
– Determinação do cenário de linha de base de um projeto;
– Justificativas do cenário de linha de base;
– Capítulo do DCP que aborda linha de base com exemplos;
– Exercícios.

4º dia: Entendendo o Plano de Monitoramento

– Determinação do plano de monitoramento de um projeto; – Procedimentos de garantia e controle da qualidade da informação; – Capítulo do DCP que aborda plano de monitoramento com exemplos; – Exercícios; – Relatórios de monitoramento; – Auditoria de verificação.
– O Mercado de Carbono e o Mercado Voluntário;
– Projetos MDL no Mundo;
– O Brasil e o MDL;
– A Negociação dos Créditos;
– Perspectivas para o Mercado de Carbono;
– Informações Úteis.

Instrutores

Stefan David – MBA em Gestão Ambiental – Proenco; CEAG – FGV Profissional com larga experiência na comercialização e na condução de mais de 40 projetos de MDL no Brasil;
Juliana Scalon – Gerente da MGM Internacional, com 7 anos de experiência em Projetos de MDL, tendo atuado por 5 anos no Grupo Suez como Engenheira de Meio Ambiente em Projetos de Aterros Industriais e Sanitários e Desenvolvimento de Projetos de MDL.

Inscrições

 

LIGUE GRÁTIS E SAIBA MAIS 0800 282 0704
Informações e inscrições:
Internet: www.proencobrasil.com.br
E-mail: proenco@proencobrasil.com.br
Tel: 0800 282 0704 – Rosana/Luís
Fax: (21) 2221-0733
28/11/2009

Oportunidade para Jovens entre 16 e 22 anos

Esta será a 15ª edição do projeto Geração Futura, que dá a jovens estudantes de todo o Brasil a possibilidade de aprender na prática como se faz televisão. O prazo para se inscrever foi prorrogado para o dia 30 de novembro.

A oficina, voltada para jovens entre 16 e 22 anos que estejam matriculados em uma instituição de Ensino Fundamental, Médio ou integrantes de projetos sociais de Organizações não-Governamentais, tem disponibilidade para 15 participantes.

Para se inscrever acesse o formulário no site do Canal Futura www.futura.org.br

O projeto tem ênfase na experimentação audiovisual, na  produção de TV e na formação de redes de articulação com outros jovens e projetos sociais. O Geração Futura quer conhecer de perto o que pensa, o que sente e como vive o jovem brasileiro. Por isso o Futura abre espaço na sua programação para exibir interprogramas, programas, campanhas, matérias e documentários produzidos pelos estudantes ao fim das oficinas.

Práticas e resultados

A Oficina de Vídeo acontecerá entre os dias 11 e 29 de janeiro de 2010. Para concorrer a uma das 15 vagas, os jovens devem realizar um vídeo de até um minuto sobre com o tema “meu olhar”, e mandá-lo em CD ou DVD, junto com o formulário de inscrição preenchido. Das vagas, cinco são destinadas a jovens que fazem parte de projetos parceiros do Geração Futura, do Canal Futura ou da Fundação Roberto Marinho. Os outros dez escolhidos serão selecionados através dos projetos enviados.

O vídeo deve ter como foco o olhar diferenciado sobre o universo do jovem, atento aos locais que frequenta, pessoas que encontra, projetos que conhece e situações que vivencia. A peça deve explorar o ambiente em que o jovem vive e mostrar, de forma inovadora, seu olhar sobre o espaço e a cultura do local.

O Canal Futura oferece cursos de câmera, edição, direção, roteiro, videografismo e produção, ministradas por profissionais do canal e do mercado de produção de TV.

Nesta edição, será concedida uma ajuda de custos a até seis jovens que não residam no município do Rio de Janeiro e que tenham seus projetos selecionados. Eles terão custeados o valor da hospedagem em albergue no Rio de Janeiro e a locomoção no trajeto entre o Futura e a moradia.

27/11/2009

Árvores frutíferas ganham as ruas em Londrina/PR

Quem já visitou o nosso site, sabe que amamos o conceito da Permacultura –  e essa notícia do G1,tinha que ganhar um destaque aqui na Páginas Verdes.ORG.

Árvores carregadas de frutas são atrações das ruas de Londrina (PR). Em um passeio pela cidade, dá para fazer uma feira.

Os moradores encontram manga, goiaba, ameixa…E, na sombra de uma jaqueira, uma vizinha reclama que não dá tempo da fruta ficar madura, porque a molecada está sempre de olho na produção.

As frutas viraram alternativas saudáveis para substituir o verde derrubado pelos vendavais. Quando as árvores antigas caem, são plantadas mangueiras e outras mudas que acabam dando frutas.

Mas a prefeitura diz que as árvores frutíferas só devem ficar em praças e fundos de vales. Para canteiros e calçadas, vale a recomendação dos técnicos, que preferem evitar acidentes quando as frutas caem do pé ou as crianças param para procurá-las, por exemplo. “Fruta é bem-vinda, mas desde que em local adequado”, diz Carlos Levy, secretário de Meio Ambiente.

Em outro bairro, uma esquina ganhou pés de cana-de-açúcar. O morador, Narciso Correia, disse que as crianças e as mulheres grávidas sempre pedem um pouquinho. Ele contou que plantou cana para matar a saudade da infância.

Posts publicados aqui com o tópico Permacultura – CLIQUE AQUI

26/11/2009

Copenhague e a contribuição dos pequenos empresários

Para reverter um prognóstico desesperador em relação ao meio ambiente, será necessário que nos preparemos para adotar mudanças cotidianas, inclusive nas empresas

Por Claudio Tieghi*

As atenções do mundo estão voltadas para a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-15), a ser realizada daqui a duas semanas (de 7 a 18 de dezembro), em Copenhague. Na berlinda da capital dinamarquesa está o futuro das novas gerações que podem ser privadas dos recursos naturais necessários à manutenção da vida.

Para se ter uma pequena amostra da importância da COP 15, esta semana 11 institutos de pesquisa do Brasil divulgaram um amplo estudo sobre os impactos do aquecimento na economia brasileira. Em 10 anos, o prejuízo chegará à cifra de R$ 7,4 bilhões. Em 2070, ele dobra para R$ 14 bilhões. Áreas agriculturáveis de estados inteiros deixarão de existir. Os alimentos podem se tornar escassos, milhares de pessoas vão ter que migrar. E para onde?

Em Copenhague, o presidente Lula pretende apresentar uma meta arrojada: diminuir em 40% as emissões de gases que provocam o efeito estufa por meio da redução do desmatamento, principalmente na Amazônia, e do reflorestamento até 2020. Para ratificar sua determinação, poderá ostentar o menor índice de desmatamento da floresta amazônica dos últimos 21 anos que resultou na diminuição de 300 milhões de toneladas de gás carbônico lançadas na atmosfera. Marca obtida graças, sobretudo, às pressões da sociedade civil, de ambientalistas, ONGs, empresas e até mesmo de agentes públicos.

Embora possamos observar um “empoderamento” do cidadão, o investimento em educação e consciência ambiental ainda é muito pequeno. O êxito em Copenhague é o primeiro passo para reverter um prognóstico desesperador, mas e depois? Mesmo que os acordos selados tragam perspectivas otimistas, será necessário que nos preparemos para adotar mudanças cotidianas.

Enfrentar o aquecimento global é uma das encruzilhadas em que se encontra o capitalismo de massa. Como incluir milhões de pessoas à margem do consumo, sem impactar ainda mais negativamente o meio ambiente? Parece óbvio que se todas passarem a consumir como nos países desenvolvidos, o planeta entrará ainda mais rapidamente em colapso. Portanto, repensar estilos de vida e dos negócios será indispensável.

Educar para o consumo, estabelecer novas formas de produção e comercialização, dar outro significado ao desenvolvimento com foco no meio ambiente e no desenvolvimento humano são desafios que permanecerão após a COP 15 e não podem ser ignorados. Nesse contexto, a participação dos pequenos empresários será fundamental. Responsáveis por 98% dos estabelecimentos comerciais do país, eles promovem o desenvolvimento com envolvimento. São criativos, inovadores, sabem se relacionar de forma muito próxima à comunidade, são multiplicadores natos. Quando assumem compromissos a favor da sustentabilidade se tornam líderes capazes de transformar a realidade em que estão inseridos.

* Claudio Tieghi é presidente da Associação Franquia Sustentável (Afras)

 

Fonte: Pequenas Empresas Grandes Negócios

25/11/2009

Tem um minuto???

 por Danielle Jordan / AmbienteBrasil

Um minuto para mudar o mundo e mudar o clima. Esta é a proposta do Observatório do Clima, uma rede que reúne diversos setores para debater as mudanças climáticas e articular entidades para cobrar ações efetiva nesta área.

A população é convidada a participar enviando mensagens de um minuto com sugestões sobre o que deve ser apresentado em Copenhague, no próximo mês, pelo governo brasileiro.

A partir de 7 de dezembro líderes mundiais se encontrarão na 15ª Conferência do Clima da ONU (COP15), com objetivo de estabelecer um acordo climático para redução de emissão de gases nocivos à atmosfera.

Uma contagem regressiva pode ser acompanhada na página principal do site da campanha, no endereço: http://www.minutopeloclima.org.br/. Uma galeria de vídeos permite que o internauta acompanhe as opiniões cadastradas. As orientações sobre como os vídeos devem ser enviados também podem ser encontradas neste endereço.

Algumas celebridades já manifestaram seu apoio à causa, como a modelo Gisele Bündchen e o ator Marcos Palmeira. “A gente tem condições de atitudes firmes, atitudes radicais, conseguir realmente diminuir a desigualdade social e ter um país sem fome, preservado e sustentável”, manifestou o ator.

De acordo com a rede, uma amostra desses vídeos será enviada ao presidente Luís Inácio Lula da Silva.

Alguns links:

Carbono Brasil

Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional da UFMG

Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos – CPTEC/INPE

Clima e Agricultura

Clima e Desmatamento

Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas

IPCC

Ministério do Meio Ambiente

Mudancas Climaticas, informacoes para um jornalismo contextualizado

Observatório do Clima

Pew Center on Climate Change

Real Climate

Stern Review

UNFCCC United Nations Framework Convention on Climate Change

Vozes do Clima

23/11/2009

Diálogos com as Ecovilas dia 25 na UMAPAZ

 Mesa Redonda dia 25 de novembro, às 20h
(Não é preciso se inscrever. Pede-se chegar com 15 minutos de antecedência)
 
 
A UMAPAZ convida para a Mesa Redonda do programa Diálogos com as Ecovilas, no dia 25 de novembro, das 20h às 21h30. O evento, que  encerra a série de encontros do ano de 2009, contará com a presença de representantes das ecovilas Morada da Floresta, São Damião,  e dos projetos Geocasa e Estudo de Casa, entre outros.
Diálogos com as Ecovilas é um programa da UMAPAZ e tem por objetivo incentivar a implantação de um novo desenho urbano sustentável, em atendimento a Década Internacional de Educação para o Desenvolvimento Sustentável, da ONU (2005/2014).
 
SERVIÇO: Mesa Redonda – Encerramento Anual do Programa Diálogos com as Ecovilas
Data: 25 de novembro – Horário: das 20h às 21h30
Local: UMAPAZ – Universidade Aberta do Meio Ambiente e Cultura de Paz
End.: Av. IV Centenário, 1268 – Portão 7-A – Parque Ibirapuera
PARTICIPAÇÃO GRATUITA
(Não é preciso se inscriver. Pede-se chegar com 15 minutos de antecedência)
 
 
 

Tags:
23/11/2009

ESCAMBO em BRASILIA

 

Feira de Trocas ………muito mais legal do que comprar!

Último escambo de 2009!
Local: Raízes, 408 Norte, Bloco D
Data: Sábado, 28 de novembro de 2009
Horário: das 14h às 18h

A feira é uma forma de dar outro destino aos produtos que não são mais
necessários para você, mas que podem ter muito valor para outras pessoas, permitindo a reciclagem socioambientalcultural. 

Não são permitidas compra e venda de produtos.

Aceitamos doações. Os artigos doados irão para instituições beneficentes do DF.

Tem mais de 20 itens para trocar? Pegue uma mesa gratuitamente! Nessa edição, as mesas serão disponibilizadas por ordem de chegada.
Contatos: feiraescambau@gmail.com .

Tags:
%d blogueiros gostam disto: